Confúcio

Esse homem tão admirado pelos orientais nasceu em 551 a. C. e viveu até 479 a. C. Os pensamentos de Confúcio foram codificados nos Anacletos de Confúcio, uma obra que no Oriente possui valor tão sagrado quanto a Bíblia para o Ocidente.

O compilado é uma relíquia entre os mínimos e confiáveis registros que traduzem os ensinamentos de Confúcio. Este livro é formado por vários aforismos deixados pelo filósofo chinês.

Confúcio

Vida

A trajetória de Confúcio teve início ao longo da região Nordeste da China, local onde atualmente se situa a província de Xantug. Ainda com três anos, o pensador teve que lidar com a perda do pai, que era a base de sustentação da família.

Apesar de mergulhado em dificuldades com a mãe devido à morte do pai, Confúcio se graduou em história e arqueologia e se tornou um professor referência na educação. A filosofia dos seus ensinamentos era sustentada em Lao Tzu, o Taoísmo e K’ung Fu-Tzu.

Todavia, mais adiante, o filósofo passou a adotar uma postura que não se pautava em explorar temáticas como a vida após a morte. Suas diretrizes filosóficas se restringiam a alavancar as relações entre os seres humanos, como prova um dos seus aforismos: "Quem não sabe o que é a vida, como poderá saber o que é a morte?".

Influência pública

O auge da trajetória de Confúcio pode ser compreendido quando ele conquistou o título de filósofo da Corte. A partir de então o pensador alçava seus ideais com o intuito de que os homens públicos que integravam os governos da China pudessem se tornar referência perante a sociedade. 

Segundo a concepção do Confucionismo, a premissa para um governo digno e exitoso era a “virtude interior”, esta que seria responsável por impor respeito aos líderes governantes. Para ele, era essencial manter desprezo para com qualquer tipo de formas de opressão e sustentar a bandeira de que o Estado devia servir a população. 

Com o passar dos tempos, as obras de Confúcio foram traduzidas para idiomas do Ocidente e assim seus pensamentos ganharam regiões como Europa e as Américas. Suas obras consistem no Livro dos Poemas, Livro da História, Livro das Etiquetas e o Livro das Mutações, o 1º I Ching. Além de versões como Chang Yü, Cheng Hsüan e de Ho Yen.

Inquisição no Brasil

A inquisição foi um grupo de instituições da Igreja Católica Romana que visava combater a heresia, atuando principalmente na França e na Itália. A perseguição era feita principalmente àqueles que não iam a favor dos dogmas católicos, ou ainda que desrespeitavam normas determinadas pela Igreja.Com início no século XII na França, a inquisição teve sua força ampliada no final da Idade Média e no início do Renascimento. Outros países europeus foram atingidos por esses ideais, e isso resultou na inquisição espanhola e portuguesa.

Os tribunais dessas duas nações atuavam também em suas colônias e tinham como foco principal converter os judeus e os muçulmanos ao catolicismo, pois eram vistos como suspeitos. Estes eram forçados a converter-se, pois a inquisição, no princípio, somente poderia julgar aqueles que eram batizados. As fogueiras marcaram esse período da história em que tribunais condenavam hereges a serem queimados vivos com plateia da população.

Inquisição no Brasil

A inquisição no Brasil

O Brasil teve tribunais instalados nos séculos XVII e XVIII, apesar de não apresentar tanta força como em Portugal. Os visitadores eram enviados pelo Tribunal de Lisboa à colônia brasileira de forma a observar e fazer relatórios a respeito da fé do povo que aqui residia. Em Pernambuco, Bahia, Maranhão e Grão Pará aconteceram três visitações em que foram julgados casos de heresia diretamente relacionadas às condutas morais e às práticas religiosas e, além disso, a inquisição perseguiu alguns judeus que residiam na colônia.

A inquisição e o Tribunal do Santo Ofício, no entanto, não queimaram ou torturaram pessoas no Brasil. Os processos eram iniciados aqui e os presos eram levados a Portugal. As delações eram estimuladas criando um clima de terror e insegurança.

Os cristãos-novos, aqui, foram os principais perseguidos – esse era o nome dado aos judeus que foram obrigados a converter-se ao catolicismo. Neste período da inquisição, mais de 1000 pessoas foram presas, e 29 foram para a fogueira. Os condenados eram torturados para confessar os “crimes”, e ao confessarem apenas não eram condenados à queimar vivos, mas ainda assim eram assassinados e posteriormente queimados. Seus corpos não podiam ser enterrados, portanto suas cinzas eram abandonadas ao vento.

Como aconteceu?

O Brasil, com os índios que aqui viviam e os negros escravos que foram trazidos, estava rodeado de culturas diferentes. Aqueles que foram obrigados a converter-se, quando não viam soluções para as enfermidades dentro da religião católica e das práticas médicas da época, acabavam recorrendo às crendices populares de suas culturas anteriores. Isso passou a ser criminalizado e denunciado por muitas pessoas. Mesmo que fossem denúncias sem provas, os alvos da denúncia eram retirados de sua residência e passavam a responder ao processo da inquisição. Após a denúncia, os acusados eram presos e torturados até confessarem seus pecados. 

O que é um acróstico?

Você já ouviu falar em acróstico? Chamamos por esse nome um gênero de composição que normalmente é poética e tem uma estrutura formada por uma palavra escrita verticalmente formando com suas letras iniciais ou finais uma sequência significativa.

Você deve ter visto isso em sua infância quando, na escola, alguns professores pediam para escrever uma poesia com seu nome, conforme o exemplo abaixo:

Meus olhos perdem-se em seu olhar

Ante à beleza infindável

Revelada nos mistérios de sua alma. Passo a vida

Imaginando o dia em que ser

Amado por ti será mais do que um breve espaço de sonhar.

Esse tipo de trabalho, no entanto, não é feito somente com nomes, mas com palavras conforme o exemplo abaixo, de autoria de Santher, uma poetisa paranaense.

Minha Razão de Viver

Felicidade maior que se

Instalou em minha vida…

Luz que ilumina e me mostra o

Horizonte a seguir… Abrigo

Onde repouso meus

Sonhos, sem nunca pensar em desistir.

Como criar um acróstico?

Criar um acróstico é muito simples: escolha uma palavra, podendo ser um nome de animal, um objeto, um personagem, um nome ou até mesmo uma frase inteira, e a escreva na vertical, sendo que em cada linha constará uma letra. A partir disso, basta abrir a mente e soltar a imaginação desenvolvendo frases.

Conceito

Com uma dinâmica característica da língua portuguesa, o acróstico consiste em uma criação em que temos que, a partir de uma letra, criar vocábulos, poemas e frases. Trata-se de um tipo de recriação textual, da mesma forma como é caracterizado o resumo, a resenha, a paráfrase e o esquema.

É importante frisar, também, que, apesar de nos exemplos acima terem começado sempre com as letras na posição inicial de uma frase, estas também podem ser intermediárias ou finais.

O que é um acróstico?

História

Desde muito tempo, na antiguidade, os acrósticos faziam parte da literatura, sendo usados pelos escritores gregos e latinos e, além disso, na Idade Média pelos monges. Utilizado amplamente durante o barroco, entre os séculos XVI e XVII, o acróstico recebeu esse nome que deriva da palavra grega Akrós, que significa extremo, e Stikhon, que significa linha ou verso.

Tipos de acrósticos

Como citamos anteriormente, apesar de os exemplos demonstrados serem somente de um tipo, existem diversas variantes. As principais, e mais simples, são o acróstico alfabético e o acróstico mesóstico.

Acróstico alfabético

Nesta, as letras do alfabeto são enfileiradas verticalmente.

Acróstico mesóstico

É quando as letras da palavra-chave usada encontram-se no meio da composição, podendo ser no final de cada hemistíquio ou início do segundo.

Tradução gênica

Entre tantos processos essenciais que ocorrem em nosso organismo, um deles é classificado como tradução gênica. Esta se dá por meio da união de aminoácidos segundo a ordem de códons do RNA mensageiro.

Cada códon constitui uma trinca de bases nitrogenadas do mRNA, cuja trinca adicional, o anticódon, está localizada no RNA transportador correspondente.

Tradução gênica

Conceito

Devido a sequência do mRNA ser deliberada pelo gene, a ordem de bases nitrogenadas do DNA, o fator que representa a tradução da informação genética é a síntese de proteína, chamada assim de tradução gênica.

Uma quantidade superior a 50 polipeptídeos e entre três e cinco moléculas de RNA em cada ribossomo participam da tradução gênica. Além, claro, de ao menos 20 enzimas acionadoras de aminoácidos, de 40 a 60 moléculas distintas de RNA transportador e diversas e solúveis proteínas que participam desde o início até a conclusão da tradução.

Processo

Os ribossomos localizados no citoplasma são o espaço onde ocorre esse processo. O mRNA é traduzido em proteína através da atividade de uma diversidade de moléculas de tRNA, própria para cada aminoácido.

Seguindo as determinações do código genético, a ordem de nucleotídeos de uma molécula de mRNA é convertida na ordem adequada de aminoácidos. Mesmo com 64 trincas existentes de nucleotídeo, somente 61 criptografam a formação de aminoácidos, pois três representam a ordem de conclusão da tradução.

A associação de um ribossomo é o fator responsável pelo ponto de partida da tradução gênica, em que um mRNA e um tRNA transportam o aminoácido metionina, que se unem ao sítio P do ribossomo.

O anticódon correspondente a esse tRNA e seu códon no mRNA são UAC e AUG, respectivamente. Esta trinca é a que corresponde ao códon de iniciação e, um posterior tRNA, se une ao ribossomo no sítio A.

O ribossomo somente catalisa a união dos aminoácidos de seus tRNAs, depois que os dois primeiros tRNAs se enquadram nos sítios P e A. Depois disso há o deslocamento pela molécula de mRNA, este que configura uma trinca de bases.

Ao passo que o ribossomo se locomove, os sítios são preenchidos por novos tRNAs, cada um com seus aminoácidos correspondentes ao mRNA. Imediatamente após, as uniões entre os aminoácidos são sintetizadas, para assim seguirem a ordem para a conclusão da tradução.

O processo é concluído quando um códon final se encontra em igual fita de mRNA em processo de tradução, cujos códons são UGA, UAA ou UAG. Ao final, o polipeptídeo é dispensado do ribossomo. Assim, o início de uma nova síntese de outra proteína já é possível. 

Energia nuclear no Brasil

O Brasil é um dos países que possui usinas de geração de energia nuclear, também conhecida como termonuclear. As reações nucleares são uma maneira de produzir energia. A energia nuclear é proveniente de reações de fissão, com efeito em cadeia de modo controlado. No Brasil encontramos um programa de uso de energia nuclear para fins pacíficos, cerca de 3 mil instalações estão em funcionamento, utilizando este material para aplicações na indústria, saúde e pesquisa.

Energia nuclear no Brasil

O que são reações de fissão?

É quando o núcleo do átomo de urânio se torna instável ao ser bombardeado com nêutrons moderados. O átomo se rompe praticamente ao meio, originando dois núcleos médios, que acabam liberando dois ou três nêutrons e com uma grande quantidade de energia.

Vantagens de produzir energia nuclear        

  • Grande quantidade de energia gerada;
  • Usinas termonucleares são consideradas fontes de energia barata e limpa;
  • Não libera gases estufa;
  • Utiliza-se pequena área para construção da usina;
  • Grande disponibilidade de combustível;
  • Pequeno risco no transporte do combustível;
  • Pequena quantidade de resíduos;
  • Independência de fatores climáticos.

Desvantagens de produzir energia nuclear

  • Lixo nuclear radioativo (deve ter cuidado ao armazená-lo, sempre em locais seguros e isolados);
  • Mais caro, quando comparado a outras formas;
  • Riscos de acidades nucleares;
  • Problemas ambientais em função do aquecimento de ecossistemas aquáticos (devido a água de resfriamento dos reatores).

Qual é o papel no Brasil?

A energia nuclear tem como papel complementar as fontes de energéticas disponíveis no brasil. Não existe fonte de energia que represente solução única de forma sustentável para um país.

Um exemplo disso, são as mudanças que vem ocorrendo no sistema elétrico brasileiro, que por muito tempo foi baseado em fontes hídricas e atualmente passa por uma mudança no sentido de se tornar um sistema hidrotérmico.

Estamos vivendo a expansão da contribuição de outras fontes renováveis (eólica, solar, biomassa), porém, estas não irão reduzir a necessidade da complementação térmica. Afinal, todas as fontes renováveis dependem de ciclos da natureza e requerem a complementação térmica para os períodos em que não estão em funcionamento.

Usinas termonucleares em funcionamento no Brasil

Atualmente no Brasil, encontramos em funcionamento duas usinas: Angra 1 e Angra 2, que se encontram no município de Angra dos Reis, no Estado do Rio de Janeiro. Possuem potencial de geração de energia de 2 mil megawatts. Está previsto a inauguração de Angra 3 para o ano de 2015, que irá adicionar 1080 megawatts de energia elétrica.

Campanha Civilista

Campanha Civilista é o nome dado à campanha de Rui Barbosa à presidência do Brasil, que ocorreu em 1910, durante a República Velha. Essa possui o nome de Campanha Civilista, em função do fato de Rui Barbosa ser o candidato civil, que batia de frente com sua oposição, a do militar Marechal Hermes da Fonseca, que na época, recebia apoio do então presidente Nilo Peçanha.

Campanha Civilista

Política do café com leite

Este período era conhecido como República Oligárquica, porém, se caracterizou pela política do café com leite. Consistiu num cenário político controlado pelas oligarquias dos estados de Minas Gerais e de São Paulo, onde havia um revezamento de representantes na presidência do Brasil.

Desacordo entre os grupos oligárquicos

Nem sempre os dois grupos oligárquicos entravam em acordo, em relação aos sucessores ao cargo presidencial. No ano de 1910, paulistas e mineiros entraram em conflito sobre quem deveria ocupar o posto da presidência do país.

Pequeno governo de Afonso Pena

Afonso pena foi eleito presidente em 1906, vindo da política mineira, recebeu apoio de partidos políticos de Minas Geais e de São Paulo. Faleceu antes de completar todo o seu mandato, então Nilo Peçanha, o vice presidente, assumiu o governo.

Marechal Hermes e Rui Barbosa passam a competir

Com o apoio de Minas Gerais, Marechal Hermes da Fonseca já organizava sua candidatura à Presidência da República, porém, uma manobra ia contra a política do café com leite, que já previa um representante paulista como sucessor de Afonso Pena. Os paulistas romperam o acordo com os mineiros e lançaram para a campanha política, Rui Barbosa como candidato civil, em oposição ao militar Hermes.

Rui Barbosa representa o candidato intelectual

O candidato Rui Barbosa passou a percorrer o brasil, representando um modelo de candidato intelectual, realizando discursos e comícios, em busca de apoio popular, ato este inédito dentro da República do Brasil. Sua campanha ficou conhecida como a primeira campanha moderna realizada no Brasil para a Presidente da República.

E mesmo com muito investimento envolvido em sua campanha por parte do Partido Republicano Paulista, o movimento civilista se fixou aos centros urbanos, se tornando um obstáculo à vitória do civil.

Chega o momento das eleições

As eleições ocorreram em 1° de marco de 1910, e a vitória ficou para o candidato Marechal Hermes da Fonseca, porém com várias suspeitas de fraude.

Rui Barbosa teve a maior quantidade de votos em capitais como Salvador, São Paulo e Rio de Janeiro.

Durante a mobilização popular alcançada pela Campanha Civilista, mostrou a insatisfação da população, que percebia o favorecimento, apenas a algumas classes da sociedades, consideradas como o único cenário político do Brasil.

Holografia

Tipo de fotografia tridimensional, que só é possível devido à propriedade ondulatória da luz, a holografia funciona com a ajuda do raio laser, onde pode gravar também as saliências e os vales das ondas, possibilitando produzir imagens em relevo. Isto é, quando uma imagem é criada em duas dimensões elaboradas, de forma que proporcionem a ilusão de terem três dimensões, são chamadas de holografias.

Como surgiu?

Em 1948, o físico húngaro Dennis Gabor descobriu e desenvolveu tecnicamente um novo princípio óptico baseado nas interferências de ondas luminosas, dando o nome de holografia.

Com a invenção da holografia, Dennis Gabor foi agraciado com o prêmio Nobel de Física, em 1971. A palavra holografia vem do grego (holosgraphos), que significa holos (inteiro) e graphos (sinal de imagem).

Quando foi realizada a primeira holografia?

A holografia foi realizada pela primeira vez nos anos 1960, com a utilização do laser.

Início da holografia no Brasil

Teve seu início através dos professores: José Lunazzi e Fernando Catta-Preta. A holografia foi utilizada por eles como forma de expressão artística. A primeira exposição de hologramas ocorreu no Brasil 1981, sendo organizada por Ivan Isoda. Foi realizada no pavilhão da Bienal em São Paulo, onde a exposição contou com hologramas produzidos de diversos países.

Atualmente é utilizada como: 

  • Pesquisas científicas;
  • Testes de aviação que projetam instrumentos no campo de visão do piloto;
  • Leitores de barra, em lojas;
  • Técnicas de fotográfica;
  • Análise de materiais ou de armazenamento de dados;
  • Estudo de materiais;
  • Desenvolvimento de instrumentos ópticos;
  • Criação de redes de difração;
  • Áreas da comunicação, como forma de impacto visual (artes visuais, como forma de expressão), como por exemplo, em galerias de museus.

Características básicas

Esse processo possui como característica básica o ponto do filme, que se chama holograma. O holograma armazena informações sobre o objeto inteiro registrado, por meio de um complexo código microscópio.

Quando uma luz incide sobre o holograma, as imagens guardadas saltam para o espaço, formando uma imagem virtual que reconstitui o objeto em sua tridimensionalidade.

Cada ponto contém informações a respeito do objeto inteiro e como cada olho capta um momento diferente do registro holográfico, quando as imagens captadas pelos olhos juntam-se no cérebro, surge o efeito de três dimensões. O holograma nada mais é, do que essa imagem tridimensional configurada pela luz.

Holografia

 Como funciona o sistema de cores?

A cor depende da frequência da luz, isto é, qualquer holograma produzido com um único laser dará na reconstrução, imagens de uma única cor. Utilizando os três raios laser de frequências diferentes, contendo as cores como verde, vermelho e azul, se registra e constrói uma cena com todas as cores. 

República Populista

Compreendendo um período de 20 anos, a República Populista figurou no Brasil logo após o fim da ditadura do Estado Novo de Getúlio Vargas, em 1945, e perdurou até 1964. O período representou um divisor de águas na economia brasileira, que aderiu ao capitalismo ocidental alavancando a industrialização nacional e desvalorizando a configuração agrária.

Essa revolução econômica que se instalava no País não agradou a boa parte da população, pois esbarrou no acúmulo de terras e de renda, no predomínio do capital estrangeiro, na exploração do trabalho e na miséria que ainda figuravam de forma abundante no Brasil.

República Populista

Organizações sociais e trabalhistas

À época, esse novo modelo de república que surgia acabou por impulsionar a composição dos movimentos sociais nas áreas rurais, como as ligas camponesas, e na consolidação das instituições sindicais dos profissionais dos centros urbanos. Nesse contexto, siglas partidárias defensoras dessas classes deram um salto e passaram a figurar com maior influência na política, a exemplo do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).

Durante o período, a relação de proximidade ente alguns governos com movimentos cuja bandeira era popular foi um dos principais fatores que determinou denominação “populista” a essa república.

Golpe do conservadorismo

Diante dessa conjuntura social que se estabelecia contrária à modernização econômica industrial, o setor conservador brasileiro, principalmente as vertentes que estavam inseridas no contexto dos latifúndios e que eram submetidas ao aporte financeiro de outros países, discordou do rumo que esse novo modelo econômico estaria tomando graças à influência das instituições sociais e dos partidos de bandeira trabalhista.

Assim, justamente no mesmo período em que a Guerra Fria atraia a atenção do mundo com a centralização entre os Estados Unidos e a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), diversas foram as investidas com um intuito de promover golpe de Estado no país. E entre as tentativas, uma culminou com a instauração do regime ditatorial civil-militar. Esse período se estendeu de 1964 a 1985 (21 anos) e ficou conhecido como o Regime Militar Brasileiro.

Paralelamente, os setores cultural e artístico sofreram profundas transformações, passando a figurarem com grande magnitude diante da sociedade brasileira. A sétima arte, as produções teatrais, as artes plásticas, a música e a literatura impulsionaram o surgimento de diferentes organizações de caráter estético e cultural.

Conjuntura política

Figuraram enquanto presidentes na Republica populista José Linhares (1945-1946); Eurico Gaspar Dutra (1946-1951); Getúlio Vargas (1951-1954); Café Filho (1954-1955); Carlos Luz (1955); Nereu Ramos (1955-1956); Juscelino Kubitschek (1956-1961); Jânio Quadros (1961); Ranieri Mazilli (1961); e João Goulart (1961-1964). 

Primeiro Triunvirato

Em 59 a. C., uma informal aliança política foi constituída em Roma entre o cônsul Júlio César, o general Pompeu e Crasso, este último, à época, era considerado o homem mais rico da região. A união foi denominada de Primeiro Triunvirato e nada mais era do que uma junção de interesses particulares de cada um dos seus membros.

César desejava obter apoio para desbaratar os Gauleses ao norte, enquanto que Pompeu tinha ânsia por terras para repartir com suas legiões de batalha. Já Crasso era aquele que buscava forças de apoio para um combate diante dos Persas. Assim, Pompeu estimulou o conflito de César contra Gauleses e acabou sendo favorecido com terras para dividir com suas legiões. Crasso, por sua vez, acumulou benefícios judiciais a partir da investida.  

Conquistando o poder sobre Gália, César abriu caminho para que Pomepu e Crasso fossem se tornassem cônsules, como assim foram eleitos e, em contra partida, estenderam o domínio de César na Gália por mais cinco anos. À época, Crasso ainda fora beneficiado com a conquista de fundos e legiões para o movimento persa.

Primeiro Triunvirato

Separação

Todavia, quando tudo parecia estar dando certo para o triunvirato veio a morte da filha de César, Júlia, que era casada com Pompeu. A partida da esposa do general abalou a união entre ele e César. Ainda nesse mesmo período, Crasso é morto pelos persas na Batalha de Carras, na Síria, o que foi considerado uma decadência militar para Roma e enfraqueceu de vez o triunvirato.

Tempos depois, Pompeu se aliou com conservadores que tinham receio do limite da ambição de César. O general, inclusive, entrou em um matrimônio com Cornélia Metélia, que era filha de Scipão Metellus, um grande desafeto de César. Após a nova aliança, se desenhou um palco favorável para uma guerra civil, como de fato ocorreu.

Pós-separação

Todavia, a força da aliança entre Pompeu e Metellus não foi suficiente para superar César. Durante as idas e vindas da batalha, ele cruzou o Rio Rubicão. Nesse período, Metellus fugiu para o Sul da Itália e Pompeu em direção para Grécia. César, fortificado com suas fiéis legiões, segue em busca de Pompeu e, no conflito Dyrrhachium, consegue derrotá-lo.

O primeiro triunvirato, já findado com a morte de Crasso, acabou por se tornar uma espécie de ditadura cujo homem de frente era Júlio César, ladeado pelo magister esquestris Marco Antônio, este último que ganharia importância após o Segundo Triunvirato. 

Guerra Mórmon

O dia 6 de março de 1838 ficou registrado na história como o início da Guerra Mórmon, ocorrida na região noroeste de Missouri, estado no Centro-Oeste dos Estados Unidos. O conflito se deu entre os fiéis da religião Santos dos Últimos Dias e a população que habitava a região.

Os Mórmons, com são denominados os seguidores da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias, são classificados como uma diversificação do cristianismo e que tem como profeta Joseph Smith Jr. À época, ele teria feito uma revelação aos fiéis sobre a volta de Jesus à Terra. Segundo a revelação de Smith, o retorno se daria no condado de Jackson, em Missouri. Eis o motivo o qual levou a comunidade Mórmon a querer fixar moradia na localidade.

Guerra Mórmon

O conflito

A chegada dos Mórmons em Missouri causou várias desavenças na região. O modo de se portar diante das situações vividas na localidade, além da ideologia religiosa dos Mórmons despertou intolerância nos que habitavam a área. Os recém-chegados a Missouri foram entendidos como um risco à política local e, com isso, os confrontos diretos foram inevitáveis. Por inúmeras vezes os Mórmons quase foram expulsos da região.

Um compromisso de paz até chegou a ser firmado entre ambos os grupos, mas em 1838 o tratado caiu por terra e uma nova e mais severa onda de conflitos teve início.

Conhecida também como a Guerra Mórmon do Missouri – denominação dada para diferenciá-la das Guerras Mórmons de Utha e de Illinois –, a batalha teve o seu começo em 6 de agosto daquele ano, sobre impulso do conflito na eleição de Galatin, capital do condado de Jackson. Na oportunidade, a população local promoveu um conflito para impedir que os novos habitantes tivessem o direito ao voto no pleito.

Daí por diante os embates foram crescentes e os Mórmons acabaram migrando para várias localidades em Missouri, entre elas a cidade de De Witt e o condado de Caldwell. Todavia, sempre eles eram alcançados e a guerra culminou numa caçada desenfreada contra os religiosos causando prisões e muitas mortes.

 

Término da guerra

Smith e outros líderes foram presos e, com isso, a comunidade Mórmon foi acusada de ser a causadora da guerra. Os seguidores da religião se desfizeram de suas propriedades para pagar as despesas do conflito e deixarem a região. Ao se mudarem para o Leste, os Mórmons fundaram uma nova cidade e, mais tarde, o profeta Smith conseguiu fugir e se unir aos seus fiéis já em Illinois. Em 1 de novembro, ao ser decretado o fim da guerra, haviam 22 mortos, sendo 21 Mórmons.