Concordância nominal

Você já reparou que quando vemos uma frase mal escrita, perdemos a credibilidade em seu conteúdo?

Isso acontece porque todos nós somos exigentes em relação à escrita. Por exemplo, se alguém envia um currículo em busca de uma vaga de emprego com erros de concordância, com certeza não será contratado, pois o texto foi mal redigido.

Erros de concordância naturalmente causam desconforto ao leitor, causando transtornos. Para evitar de escrever errado, é importante prestarmos atenção nos elementos que compõem uma frase.

Na concordância nominal, o artigo, o numeral, o adjetivo e o pronome adjetivo concordam com o substantivo a que se referem em gênero e número.

Regra de concordância nominal

A regra básica de concordância nominal manda os termos determinantes (artigos, numerais e pronomes), e os termos modificadores (os adjetivos), concordarem com um termo determinado, que pode ser o substantivo ou o pronome substantivo, em gênero e número.

Sendo assim, quem “manda” na concordância nominal é o substantivo, que irá determinar se o gênero é masculino ou feminino e o seu número em singular ou plural. Os determinantes modificadores devem concordar com o núcleo do sintagma nominal (o substantivo).

Concordância nominal
Foto: Reprodução

Identificando os elementos que estruturam o sintagma da frase

“Os seus três recentes livros foram lançados ontem.”

  • Núcleo do sintagma nominal → livros (substantivo);
  • Artigo → os;
  • Pronome → seus;
  • Numeral → três;
  • Adjetivo → recentes;
  • Particípio → lançados;

A frase inteira se encontra no masculino e no plural.

Palavras invariáveis (não se flexionam)

Algumas palavras não se flexionam em gênero e número. São elas: os advérbios, as conjunções e as preposições, portanto não concordam com o substantivo.

Uma das dificuldades da concordância nominal é saber diferenciar o adjetivo do advérbio.

– Adjetivo é modificador do substantivo;

– Adverbio é modificador do verbo.

Em alguns casos podemos usar ora o advérbio que é invariável, ora o adjetivo que é variável. Observe os exemplos abaixo:

“Vamos falar sério”.

É o modo como vamos falar, isto é, seriamente;

Advérbio (não se flexiona) → sério.

“Vamos falar sérios”.

Adjetivo → sérios (que se refere ao pronome “nós” sujeito oculto, em razão disso concorda com o plural).

Exemplos de concordância nominal

Exemplo 1:

“Sempre digo que não estamos só”. → frase incorreta.

Só → variável → deveria estar no plural.

“Sempre digo que não estamos sós”. → frase correta.

Exemplo 2:

“Os policiais estavam em alertas.” → frase incorreta.

Alertas → palavra invariável → deveria estar no singular.

“Os policiais estavam em alerta.” → frase correta.

Exemplo 3:

“Recebeu bastante elogios”.

Bastante → deveria estar no plural.

“Recebeu bastantes elogios” → frase correta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *