Arquivo da categoria: Uncategorized

Literatura barroca

A literatura barroca ocorreu no final do século XVI e início do século XVII, e é caracterizada por dilemas e oposições decorridos da crise do Renascimento. A dificuldade econômica decorrente do declínio do comércio do oriente e o posicionamento da Igreja Católica formaram grandes influências neste período. Havia nesta época um conflito entre os homens barrocos e os conservadores religiosos, pois aqueles desejavam, ao mesmo tempo, a salvação divina e os prazeres mundanos.

Literatura barroca

Características da literatura barroca

O pecado e o perdão andam juntos dentro da literatura barroca, assim como o dualismo, que é a arte do conflito. Tudo é inconstante e está em constante movimento: o bem e o mal, espírito e matéria, céu e inferno, fé e razão. Este período mostra o quanto a vida é breve e que por isso deve ser aproveitada.

Marcada por uma forte linguagem culta e erudita, a literatura barroca apresenta abusos de figuras de linguagem no texto, muitas metáforas, antítese, hipérbato, paradoxo e prosopopeia.

  • Metáforas: expressão que produz sentidos figurados por meio de comparações implícitas;
  •  Antítese: presença de paradoxos, arte do conflito, contraposição de conceitos, palavras ou objetos distintos. Antíteses mais comuns na literatura barroca: claro e escuro, vide e morte, tristeza e alegria;
  • Hipérbato: ideia de grandiosidade;
  • Paradoxo: ideias contrárias em um único pensamento;
  •   Prosopopeia: personificação de seres inanimados, trazendo mais dinamicidade a história.

Literatura barroca no Brasil

  • Gregório de matos, autor que recebeu o apelido de “Boca de Inferno” (devido à sua linguagem considerada de baixo calão, usada em seus textos), foi um dos poetas mais conhecidos do barroco brasileiro;
  • Bento Teixeira, autor de “Prosopopéia”, um dos iniciantes na escola literária barroca;
  • Manuel Botelho de Oliveira, autor de “Música do Parnaso”.

A arte barroca da contrarreforma

É formada pela contrarreforma, época em que igrejas, capelas, estátuas de santos e monumentos sepulcrais estavam em alta. As obras de arte falavam aos fiéis, a arte barroca tinha que convencer e impor admiração da população.

A passagem do tempo

O tempo, para o homem barroco, é algo que passa rápido e, em sua vida, tudo se destrói. No entanto, para ele existe a contradição: apesar de a vida ser breve, é preciso saber aproveitar o tempo antes que ele termine.

Cultismo e conceptismo barroco

Cultismo é caracterizado pela linguagem rebuscada, culta, extravagante e de alto nível. É repleta de jogos de palavras.

Conceptismo é o jogo de ideias e de conceitos que estão acompanhados de raciocínio lógico e do nacionalismo. Utiliza uma retórica aprimorada, com o intuito de convencer, ensinar. Neste período as frases são formadas em ordem rigorosa.

Antropocentrismo e teocentrismo

Conflito constante entre o homem e a religião, entre o prazer pagão e a fé divina. O homem entra em constantes questionamentos, como: aproveitar os prazeres carnais da vida ou se conservar “santo” para garantir a “vida eterna”?