A relação entre antígenos e anticorpos

De acordo com a biologia, anticorpos nada mais são do que glicoproteínas existentes no sangue do hospedeiro, enquanto que os antígenos são considerados quaisquer substâncias dos seres infecciosos.

Ao passo que um antígeno se aloja no hospedeiro, uma reação imune é desencadeada com a constatação e produção de anticorpos, seguida da ativação de células do sistema imunológico. Esse tipo de reação é conhecida como antígeno-anticorpo.

A constatação dos anticorpos dos mais variados antígenos existentes em distintos patógenos – parasitas, fungos, vírus e bactérias -, compreende ligações reversíveis e não covalentes, como pontes de hidrogênio, ligações iônicas e interações hidrofóbicas e de Van der Waal.

Entendendo as ligações

Afinidade é o nome dado ao elo de união entre antígeno e anticorpo. Essa força de ligação é expressa, geralmente, por meio da dissociação constante. De tal modo que o Kd é responsável por descrever a concentração necessária dos antígenos para preencher os espaços de ligação de metade das moléculas de anticorpos existentes em uma solução com anticorpo.

Uma interação mais extensa e resistente é indicada por um Kd menor, haja vista que uma concentração mais tímida de antígenos é necessária para preencher os locais de ligação.

O Kd, geralmente, varia de 10-7 a 10-11M tanto para antígenos naturais quanto para anticorpos específicos. Uma mistura de anticorpos com distintas afinidades ao antígeno de determinado patógeno estará presente no soro de um indivíduo imunizado.

A força total de ligação entre antígeno e anticorpo, por sua vez, é denominada de avidez. Essa pode ser compreendida como aquela que considera a flexibilidade gerada pela “dobradiça” da área dos anticorpos, possibilitando que somente um anticorpo seja suficiente de se unir a antígenos multivalentes por mais de um espaço de ligação.

Assim, a compatibilidade de qualquer um dos espaços de ligação ao antígeno será igual para cada epítopo – porção determinada do antígeno no qual o anticorpo está ligado. A ligação a todos os espaços de todos os epítopos do antígeno disponível deve ser considerada pela força de ligação do anticorpo ao antígeno.

A relação entre antígenos e anticorpos
Foto: Reprodução

Reações do tipo antígeno-anticorpo estão presentes em:

  • Aniquilar células de agentes infecciosos, como os microrganismos
  • Arruinar ou eliminar moléculas, a exemplo das toxinas produzidas pelas bactérias
  • Banir tecidos estranhos do organismo, como o da rejeição em transplantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *