Todos os posts de Priscila Melo

Adsorção

É possível perceber que as substâncias em estado sólido e líquido possuem a capacidade de interação entre elas. Isso acontece, pois nesses estados físicos, as moléculas acabam ficando mais próximas umas das outras e consequentemente com a densidade mais elevada. Já as substâncias que se encontram em estado gasoso, a interação acontece, porém com uma menor frequência, pois existe certa distância entre uma molécula e outra.

Adsorção
Foto: Reprodução

Definição

Entre as diversas formas de interação que podem ocorrer entre as moléculas, existe a adsorção. Neste, um fluído, que é chamado de adsorvido, se adere a uma superfície de uma substância, que é chamada de adsorvente. O grau de adsorção depende da temperatura, da pressão e da área da superfície. E essa interação que acontece entre adsorvido e adsorvente pode acontecer através das forças de naturezas física ou química.

A fisissorção

A fisissorção, também conhecida como adsorção física, é quando a adsorção ocorre por interações físicas entre as partes. Nela as moléculas ou átomos se aderem à superfície do adsorvente, geralmente isso acontece através das forças de Van der Waals, que mesmo sendo ligações intermoleculares de longo alcance, são muito fracas e incapazes de formar ligações químicas.

Quando uma molécula é fisicamente adsorvida retém a sua identidade, mesmo podendo ser deformada pela presença dos campos de força da superfície. É usada em máscaras contra gases e na purificação e descoloração de líquidos.

A quimissorção

A quimissorção, também conhecida como adsorção química, é quando a adsorção ocorre por forças de natureza química. Nela as moléculas ou átomos unem-se à superfície do adsorvente através da formação de ligações químicas, que geralmente são covalentes.

Exemplo de adsorção

Um exemplo muito comum de um caso onde ocorre a adsorção é no uso do carvão para remover odores em geladeiras. É comum que os alimentos armazenados na geladeira comecem a se decompor lentamente, soltando substâncias gasosas voláteis, que consequentemente, exalam certos odores desagradáveis. O carvão possui uma grande quantidade de poros em sua superfície, estes adsorvem os gases e eliminam o odor.

A diferença entre adsorção e absorção

É importante saber diferenciar adsorção de absorção. Existe uma grande semelhança tanto na escrita, quanto na pronúncia dessas palavras, porém são dois processos diferentes.

Na absorção, a substância absorvida é embebida pela substância absorvente, como exemplo temos uma esponja que absorve a água.

Já no caso da adsorção, a substância fica retida apenas na superfície do adsorvente, ou seja, ela não é incorporada ao volume da outra.

Pronomes demonstrativos

Entre os diversos assuntos que compõem a gramática da língua portuguesa, temos os pronomes demonstrativos. Eles são muito utilizados diariamente na linguagem escrita e falada, porém nem sempre são empregados corretamente nas frases. Você sabe como podem ser classificados e quais são os pronomes demonstrativos? Veja como emprega-los corretamente nos textos de acordo com a necessidade.

Pronomes demonstrativos
Foto: Reprodução

Definição

Os pronomes demonstrativos são aqueles que demonstram a posição de um elemento qualquer com relação às três pessoas do discurso. Podendo ocorrer com relação ao tempo, ao espaço ou até no próprio texto. Os pronomes demonstrativos podem se apresentar em formas variáveis e invariáveis.

Classificações

Os pronomes demonstrativos podem ser classificados como variáveis (quanto ao gênero e número), ou invariáveis. Veja a seguir:

Pronomes demonstrativos variáveis
Pessoas Masculino Feminino
Singular Plural Singular Plural
Este Estes Esta Estas
Esse Esses Essa Essas
Aquele Aqueles Aquela Aquelas
Pronomes demonstrativos invariáveis
Pessoas
Isto
Isso
Aquilo

São também pronomes demonstrativos:

  • o, a, os, as, quando equivalem a isto, aquele, aquela, aqueles, aquelas. Exemplo: Imagino o que ela já passou esses anos ao lado dele. (=aquilo)
  • mesmo, mesma, mesmos, mesmas, próprio, própria, próprios, próprias, quando reforçam pronomes pessoais ou fazem referência a algo que foi expresso anteriormente. Exemplo: Eu mesma vi essas pessoas aqui ontem.
  • tal e semelhante, quando equivalem a esse, essa, aquela. Exemplo: Tal era a solução para o problema.

No tempo

Quando usamos os pronomes demonstrativos para nos referir ao tempo, é importante observar que:

  • Este, esta, estes, estas e isto indicam o tempo presente em relação à pessoa que fala. Exemplo: Este ano tem sido cheio de surpresas para todos nós. O pronome este está se referindo ao ano atual.
  • Esse, essa, esses, essas e isso indicam o tempo passado próximo ao momento da fala. Exemplo: Essa noite dormi muito mal, tive febre e crise de garganta. O pronome essa está se referindo a noite passada.
  • Aquele, aquela, aqueles, aquelas e aquilo indicam um afastamento no tempo, um tempo distante. Exemplo: Aquele ano as pessoas passaram por muitas dificuldades. O pronome aquele está se referindo a um passado distante.

No espaço

Quando usamos os pronomes demonstrativos para nos referir ao espaço, é importante observar que:

  • Este, esta, estes, estas e isto indicam o que está perto da pessoa que fala. Exemplo: Comprei este celular.
  • Esse, essa, esses, essas e isso indicam o que está perto da pessoa com quem se fala. Exemplo: Esse livro que está perto de você parece ser bom.
  • Aquele, aquela, aqueles, aquelas e aquilo indicam o que está longe tanto da pessoa que fala quanto da pessoa com quem se fala. Exemplo: Olha aquele cartaz!

No texto

Quando usamos os pronomes demonstrativos para nos referir ao próprio discurso, é importante saber que:

  • Este, esta, estes, estas e isto fazem referência a algo sobre o qual ainda vai ser dito. Exemplo: São estes os problemas: a falta de água e o calor.
  • Esse, essa, esses, essas, e isso fazem referência a algo que já foi citado anteriormente. Exemplo: Organizar todos os pagamentos do mês, essa é a prioridade.
  • Este e aquele são empregados quando se faz referência a termos já mencionados. Exemplo: Pedro e Rafael são ótimos funcionários: este pela responsabilidade e aquele pela criatividade.

América Central

O continente americano é dividido em três partes: América do Norte, América Central e América do Sul. Cada uma dessas regiões possuem suas especificidades. Veja agora um pouco mais sobre a América Central, suas características, localização e economia.

América Central
Foto: Reprodução

Localização

A América Central se localiza entre a América do Sul e a América do Norte, limitando-se a oeste com o Oceano Pacífico e a leste com o Oceano Atlântico, a norte com a América do Norte na fronteira da Guatemala com o México, e a sul com a América do Sul na fronteira do Panamá com a Colômbia.

Ela é dividida em dois trechos: o insular e o continental. Este primeiro é formado pelas ilhas, já o segundo a parte continental que liga a América Central à América do Norte e à América do Sul.

Atualmente a América Central se constitui de 7 países e várias ilhas. Os países são: Guatemala, Belize, Honduras, El Salvador, Nicarágua, Costa Rica e Panamá. Na América Central insular, temos o Caribe, que é composto por 13 países independentes e mais 11 territórios: Antígua e Barbuda, Bahamas, Barbados, Cuba, Dominica, Granada, Haiti, Jamaica, República Dominicana, Santa Lúcia, São Cristóvão e Névis, São Vicente e Granadinas, Trinidad e Tobago (países), Anguila, Antilhas Holandesas, Aruba, Guadalupe, Ilhas Caimã, Ilhas Turks e Caicos, Ilhas Virgens Americanas, Ilhas Virgens Britânicas, Martinica, Monte Serra e Porto Rico (territórios).

Características naturais

O clima na região da América Central é tropical quente com estação úmida no verão e seca no inverno, nesta região são comuns tempestades tropicais. Devido a sua altitude, é possível identificar três domínios climáticos.

As terras quentes representam as regiões em que se localizam as planícies e os baixos planaltos, nestas as temperaturas médias mensais medem cerca de 25ºC, possuindo características de climas tropical úmido e equatorial.

As terras temperadas estão localizadas entre as planícies e as montanhas, nelas as temperaturas médias medem cerca de 20ºC, possuindo um clima tropical de altitude.

Já as terras frias, localizam-se nos locais onde há montanhas elevadas e por este motivo as temperaturas são semelhantes às de clima frio.

Uma grande parte da América Central é constituída por montanhas que periodicamente desenvolvem o processo de vulcanismo e também de terremotos. A vegetação da região é formada por densas florestas, porém quase 50% já foram desmatadas devido à exploração de madeira.

Economia

A América Central não se destaca muito economicamente, sua economia é pouco desenvolvida e tem como base principal a agricultura, há ainda o turismo e algumas pequenas indústrias.

O MCCA (Mercado Comum Centro-Americano) é o bloco econômico dessa região, e o seu principal objetivo é a integração econômica entre os países-membros, que são: Nicarágua, Guatemala, El Salvador, Honduras e Costa Rica.

Ecossistemas brasileiros

O Brasil possui uma grande variedade de paisagens e cultura em seus 8,5 milhões de quilômetros quadrados. Possui vários ecossistemas e a biodiversidade mais rica do planeta, que vai desde as tribos indígenas até as mais modernas gerações. Conheça agora alguns dos principais ecossistemas brasileiros e suas características.

O que é ecossistema?

Podemos dizer que o ecossistema é um sistema aberto que inclui, em uma determinada área, fatores físicos e biológicos (os elementos biótipos e abióticos) do ambiente e suas interações. O que consequentemente resulta em uma diversidade biótica com estrutura trófica claramente definida e na troca de energia e matéria entre esses fatores.

Os principais ecossistemas brasileiros

O nosso país possui uma grande diversidade de ecossistemas, isso acontece, pois quase todo o território brasileiro está na zona tropical, o que faz com que ele receba uma grande quantidade de calor durante todo o ano. Veja agora os principais ecossistemas brasileiros:

Mata Atlântica

Ecossistemas brasileiros
Foto: Reprodução

A Mata Atlântica se localiza entre a região do Rio Grande do Norte e vai até o sul do país. Foi a floresta com maior extensão latitudinal do planeta. Ela já chegou a cobrir cerca de 10% do território nacional, mas atualmente cobre apenas 4%. Possui árvores altas e uma vegetação densa. Essa é uma das áreas de maior diversidade de seres vivos do planeta. É possível encontrar nela o ipê-roxo, o angico, Cambuci, animais como a onça pintada, o mico-leão-dourado, a anta e outros.

Floresta Amazônica

A Floresta Amazônica ocupa a região Norte do Brasil, mas estende-se além dele, abrangendo cerca de 50% do nosso território. É a maior formação florestal do planeta, possui clima equatorial úmido, o que proporciona chuvas frequentes e abundantes. Podemos encontrar nela florestas densas e campos, entre a vegetação temos a seringueira, o guaraná e a vitória-régia. Há inúmeras espécies de animais como o peixe-boi, o boto, a arara entre outros.

Caatinga

Localiza-se na maior parte da região nordeste, estendendo-se ao norte de Minas Gerais, ocupa cerca de 10% do território brasileiro. No período da seca a vegetação perde as folhas e fica esbranquiçada. As áreas mais elevadas, onde a seca é menos intensa, são chamadas de Agreste. Entre a vegetação, encontramos os cactos e outras plantas e entre os animais temos o gambá, a cascavel, a gralha e outros.

Cerrado

Este ocupa, principalmente, a região centro-oeste. Essa área ocupa cerca de 20% do território brasileiro. Seu clima apresenta duas estações bem definidas. A sua vegetação é composta de arbustos retorcidos e de pequeno porte, entre eles temos o araçá, murici, buriti e outros, quanto aos animais temos o lobo-guará, tamanduá-bandeira, onça pintada e outros.

Campo

Os campos do sul, também chamados de pampas, são encontrados no sul do país, do interior do Paraná e Santa Catarina ao sul do Rio Grande do Sul. Representam 2,4% da cobertura vegetal do país, nele encontramos a grama e a relva, por exemplo. Entre os animais temos o preá, o ratão-do-banhado e várias cobras.

Pantanal

Localiza-se na região centro-oeste, entre o Mato Grosso e o Mato Grosso do Sul, chega a ocupar 1,8% do território brasileiro. É marcado por ciclos de secas e cheias, e de temperaturas elevadas. Nele encontramos os jacarés, tuiuiús, cervos-do-pantanal e muitos outros.

Restinga e Manguezal

A restinga é típica do litoral. Os seres desse ecossistema vivem em solo arenoso, rico em sais. Encontramos nela a maria-farinha, besourinho-da-praia, coruja-buraqueira, perereca entre outros. Entre as plantas temos as bromélias, cactos, jurema, aroeirinha, Sumaré e outras.

O manguezal apresenta-se na costa brasileira, e vai desde o Amapá até Santa Catarina. Os solos são lodosos e ricos em nutrientes, são ainda berçário e abrigo para espécies de caranguejos, peixes e aves.

Esse ou este – Quando usar?

Há palavras na língua portuguesa que possuem grande semelhança na escrita, na fala e até mesmo no sentido, porém que não devem ser confundidas, pois mesmo possuindo tanta semelhança, seu uso pode estar gramaticalmente incorreto. O uso do “esse” e do “este” pode confundir muitas pessoas, esse é o seu caso? Então continue lendo e descubra como não errar!

Esse ou este – Quando usar?
Foto: Reprodução

Os pronomes demonstrativos

Os pronomes demonstrativos são aqueles que demonstram a posição de um elemento qualquer em relação às pessoas do discurso, situando-os no espaço, no tempo ou até mesmo no próprio discurso. Ele pode ainda apontar para elementos intradiscursivos, termos ou ideias que foram mencionados ou que ainda serão.

Os pronomes demonstrativos “esse” e “este” se apresentam em formas variáveis de acordo com o gênero e o número e geralmente são empregados para indicar a posição dos seres no tempo e espaço.

Usando o esse

Esse, essa e isso são usados para objetos que estão próximos da pessoa com quem se fala, ou seja, da 2ª pessoa (tu, você). Veja o exemplo:

Compro esse apartamento.

O pronome esse indica que o apartamento está perto da pessoa com quem se fala, ou está afastado da pessoa que fala.

O pronome pode se referir ao tempo ou ao espaço. Veja mais exemplos:

Esse ano que passou não foi tão agradável. (tempo)

O pronome esse se refere a um passado ainda próximo.

Dirijo-me a essa empresa com o objetivo de solicitar informações sobre o serviço prestado. (espaço)

Neste caso estou me referindo à empresa destinatária.

Usando o este

Este, esta e isto são usados para objetos que estão próximos de quem está falando, ou seja, da 1ª pessoa (eu). Veja o exemplo:

Irei comprar este apartamento.

O pronome este indica que o apartamento está perto da pessoa que está falando.

O pronome pode se referir ao tempo ou ao espaço. Veja mais exemplos:

Este ano está sendo cheio de acontecimentos inesperados. (tempo)

O pronome este se refere ao ano presente.

Reafirmamos a posição desta empresa em participar do próximo treinamento do Sebrae.

Neste caso é a empresa que envia a mensagem.

É importante observar que quando usamos o pronome este para o tempo, estamos nos referindo ao presente, já o uso de esse pode ser para o passado ou futuro.