Bioluminescência

Você já ouviu falar em bioluminescência? Este é um fenômeno que faz com que alguns organismos vivos possam emitir luz. Um exemplo de ser vivo que passa por esse fenômeno é o vagalume, um inseto que emite uma luz. Conheça um pouco mais sobre esse fenômeno e tire as suas dúvidas agora.

Definição

Bioluminescência é uma palavra híbrida, que vem do grego bios, que significa vida, e do latim “lumen”, que significa luz. É um fenômeno de emissão de luz por organismos vivos.

Esta é uma forma de ocorrência natural de quimioluminescência, onde a energia resultante de uma reação química é lançada sob a forma de emissão de luz. Este fenômeno acontece em parte dos seres vivos, com exceção dos vertebrados de vida terrestre (como os anfíbios, as aves, os répteis e os mamíferos) e plantas superiores.

Bioluminescência
Foto: Reprodução

Como ocorre?

Na bioluminescência acontece uma transformação da energia química em energia luminosa, o que faz com que os seres emitam luz. Esse fenômeno ocorre em diversos grupos de organismos, desde os vertebrados e invertebrados marinhos, até os micro-organismos.

Estudos bioquímicos desse fenômeno revelam que ele varia bastante, geralmente dependendo da ação de uma enzima, a luciferase, sobre um substrato, a luciferina. Elas reagem entre si, com a oxidação de um substrato pelo oxigênio e liberam luz.

Nos insetos, como o vagalume, por exemplo, além de luciferina e luciferase, é preciso ainda ter a presença de ATP (trifosfato de adenosina), que é consumido durante a emissão de luz. Essa é uma reação altamente específica para ATP, e não ocorre com outros compostos fodforilados. Os vagalumes produzem luciferina (que é um pigmento), que reage com o oxigênio para criar luz, e luciferase (que é uma enzima), que age como catalisadora da reação, para a acelerar. Essa reação é mediada algumas vezes por cofatores, como iões de cálcio ou ATP. A reação química pode acontecer tanto no interior quanto no exterior das células. Nas bactérias, a expressão de genes que são relacionados com a bioluminescência é controlada por um operão, chamado “operão Lux”.

Características e curiosidades

Veja agora algumas características e curiosidades da bioluminescência:

  • É uma forma de luminescência ou emissão de “luz fria”;
  • Menos de 20% da luz gera radiação térmica;
  • Algumas formas são mais brilhantes (ou só existem) à noite, seguindo um ritmo circadiano;
  • A bioluminescência não-marinha é raramente encontrada;
  • A forma de bioluminescência terrestre mais conhecida é o vagalume;
  • Estima-se que 90% da vida abissal produz, de alguma forma, bioluminescência;
  • Grande parte da emissão de luz desses seres pertence ao espectro de luz azul e verde, cores que mais facilmente se transmite pela água do mar;
  • Algumas espécies emitem vermelho e infravermelho e o gênero Tomopterise emite a luz amarela;
  • Não deve ser confundida com fluorescência, fosforescência ou refração de luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *