Cronobiologia

Cronobiologia (do grego khronos – crono = tempo; biós = vida e logos = estudo) é a ciência responsável por estudar os ritmos e os fenômenos biológicos que ocorrem nos seres vivos com uma periodicidade determinada. Ou seja, este ramo da Biologia é responsável pelo estudo do “relógio biológico” dos seres vivos.

As primeiras ideias sobre a existência dos relógios biológicos são do século XVIII, porém somente no século XX a cronobiologia passou a ser internacionalmente aceita. Em 1960, no evento “Cold Spring Harbor Symposium of Quantitative Biology – Biological Clocks”, as principais vertentes deste novo campo do saber científico foram definidas.

Cronobiologia

O ritmo biológico do ser humano

O ritmo biológico do ser humano vem sendo analisado por pesquisadores desde a Grécia Antiga, no entanto, foi apenas no fim da década de 1950 que o estudo deste mecanismo passou a ser reconhecido como uma disciplina científica – surgia aí a Cronobiologia, ramo de estudo da biologia em função do tempo.

Todos os seres vivos, inclusive o ser humano, desenvolveram ritmos de expressão funcional para se adaptarem à alternância entre o dia (luz) e a noite (escuridão). A Cronobiologia contribui fornecendo indicações de como o nosso organismo se comporta em determinados períodos do dia.

No decorrer do dia, todos os seres vivos apresentam um conjunto de ritmos denominado ritmos circadianos, que se repetem a cada 24 horas. Além dos ritmos circadianos, existem também os ritmos ultradianos, que são múltiplos ciclos que se repetem a cada 24 horas, como a respiração ou os batimentos cardíacos; e os ciclos infradianos, aqueles que se completam dentro de 28 horas ou mais.

O núcleo supra quiasmático do hipotálamo é considerado o nosso relógio biológico, pois os neurônios presentes nesta estrutura são os responsáveis pelo ritmo circadiano.

A variação dos ritmos biológicos

Os ritmos biológicos variam de pessoa para pessoa, sendo assim, existem pessoas que são matutinas e outras vespertinas.

Os indivíduos que acordam muito cedo, bem dispostos e bem-humorados, são classificados como pessoas do cronotipo matutino. Já os indivíduos que dormem até tarde e só se sentem dispostos após o almoço, com o máximo de eficiência ao entardecer, são classificados como de cronotipo vespertino.

Há, ainda, as pessoas mistas, que são aquelas que não estão nem um extremo nem em outro. Os indivíduos mistos representam o grupo de maior parte da população (80%) e ora apresentam predominância matutina, ora vespertina, e conseguem se adaptar com facilidade aos horários impostos. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *