Czarismo

Czarismo foi um sistema político que ocorreu na Rússia no final do século 18. Até a revolução de 1917, o país foi governado de forma absoluta pelo imperador russo, Czar Nicolau II. Czar era o título que se dava ao imperador russo.

O regime de czarismo é muito parecido com o absolutismo, onde o imperador russo agia em função da grandeza imperial e da ampliação de seu poder, isto é, governando com poder absoluto.

Czarismo e as classes dominantes

As classes dominantes viveram durante esse período, cercadas de luxo e recheadas de privilégios, como por exemplo, viviam em enormes residências que possuíam arquitetura neoclássica, andavam em carruagens pomposas, belos vestidos e trajes. Além disso, organizavam grandes bailes e ocupavam o topo da pirâmide social.

Mais de 70% dos cargos públicos eram ocupados pelo império, os ricos e poderosos, garantindo a eles uma série de benefícios, como por exemplo, bons salários, impostos menores e até mesmo encaminhar seus filhos com mais facilidades a universidades ou exército.

Czarismo
Foto: Reprodução

Czarismo e a população

Nesse período, a Rússia era gigante em termos territoriais e populacionais, o equivalente a quase quatro vezes o tamanho do Brasil, com uma população de aproximadamente 140 milhões de habitantes. Um país atrasado, onde mais de 80% de seus súditos trabalhavam no campo, no auge da Revolução Industrial.

Com rendas familiares baixas, a pobreza assombrava boa parte da população. Epidemias de cólera exterminavam parcelas significativas da população, onde em sua grande maioria eram analfabetos. Com uma diferença exorbitante entre o “mundo” dos pobres e o “mundo” dos ricos não iria demorar muito até que uma rebelião organizada entre a população miserável estourasse.

Início do capitalismo selvagem

Nicolau II decide modernizar a economia do país, incentivando a industrialização e a construção de um grande sistema de ferrovias. A principal delas, a Transiberiana, ligava a Rússia europeia aos territórios mais distantes da Ásia, sendo quase concluída em 1890.

Para dar conta dos gastos, o regime czarista aumentou ainda mais os impostos da população miserável e buscou altos empréstimos em bancos estrangeiros. Como resultado obteve uma dívida externa exorbitante, e então em questão de pouco tempo a Rússia estaria na mãos de banqueiros ingleses, americanos e franceses.

Entre 1890 a 1900 a população urbana dobrou de tamanho, ocorre o surgimento do proletariado russo e muitos abandonam o campo em busca de qualidade de vida. As atuais jornadas de trabalho chegavam a 15 horas por dia, com baixos salários, sem qualquer tipo de assistência social.

Mudanças no czarismo

Surgem os primeiros partidos de esquerda, e outros grupos passam a se organizar clandestinamente em 1890, reivindicando melhores condições de trabalho. No ano de 1886 ocorre uma greve que contou com mais de 40 mil operários, trazendo como resultados:

  • Reajuste salarial;
  • Redução da jornada de trabalho para 12 horas diárias.

Czar Nicolau II tenta impedir o surgimento de novas organizações operárias, porém sua opressão não mostra qualquer resultado. Entre os grandes líderes de esquerda se destacam dois que entraram posteriormente para a história da Revolução Russa de 1917, o ditador Josef Stálin e Vladimir IIitch Ulianov.

Guerra, pobreza e muita fome

Não bastando todos os problemas que o país russo enfrentava naquele período, em 1904, o país decide entrar em guerra contra o Japão, em busca de controle de territórios localizados no nordeste da China. Nicolau II teve como resultado uma derrota humilhante, onde aproximadamente 4,3 marinheiros perderam suas vidas.

Com o alto custo da guerra, os preços dos alimentos no país alcançou altos índices, e o povo que já estava descontente com o regime czarista, revolta-se ainda mais com Czar.

Em 1905 o ano foi marcado por várias revoltas populares que foram reprimidas por czar com extrema violência.

O fim do czarismo

Em janeiro de 1917 mais de 676.000 mil trabalhadores foram às ruas em greve, e até mesmo as tropas que haviam sido enviadas para acabar com a manifestação acabaram se juntando a eles, marcando o fim do czarismo e o início da União Soviética.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *