Estática

A estática é uma parte da física estudada na mecânica responsável pelo estudo dos corpos estáticos, ou seja, daqueles corpos que não se mexem. Neste caso, temos a ausência de movimento – aceleração nula – e, de acordo com as Leis de Newton, todas as forças estão atuando sobre um corpo em equilibro de forma que a soma vetorial delas deve ser nula. Ainda de acordo com Newton, todas as partes de um sistema que encontra-se em equilíbrio, também estarão em equilíbrio.

Estática

Tipos de equilíbrio

Existem, no entanto, algumas formas de equilíbrio:

  • Equilíbrio estável: neste caso, mesmo que haja uma perturbação, as forças do sistema acabam retornando o corpo ao estado de equilíbrio.
  • Equilíbrio instável: este, em contrapartida, caso haja uma perturbação qualquer, isso acarretará o fim do estado de equilíbrio. Isso acontece devido ao fato de que alguma das forças que antes encontrava-se em equilíbrio acabe se sobrepondo as outras e desequilibrando todo o sistema.
  • Equilíbrio indiferente: o terceiro e último tipo trata de que indiferentemente de qualquer coisa, qualquer estado de inércia assumido é mantido.

A soma das forças

A mescla da massa e da aceleração da origem à força. É preciso, para determinar se o corpo está realmente estático e qual o tipo de equilíbrio em que se encontra, que você calcule se a resultante de todas as forças somadas é igual a zero, ou seja, é nula.

Caso o somatório dessas forças seja nulo, isso significará que o corpo permanecerá em sua situação inicial. Ou seja, se estivesse em movimento inicialmente, permanecerá com a velocidade constante e, se estivesse parado, permaneceria parado.

Equilíbrio de um ponto material

Além de tudo que vimos sobre a estática, é preciso que fiquemos por dentro do equilíbrio do ponto material. Neste caso, podemos definir que o ponto material é qualquer corpo que tenha dimensões que não interfiram no resultado final, ou seja, o corpo é muito pequeno de forma que suas dimensões não irão alterar em nada o resultado. Esse ponto material, para encontrar equilíbrio, deve ter a somatória vetorial das forças que nele atual totalmente nula.

Equilíbrio de corpos rígidos

Neste caso a dimensão dos corpos não deve ser ignorada e, dessa forma, o estudo começa a ter como necessária a análise dos seus movimentos de rotação. Caso as forças sejam de mesmo módulo, a resultante será nula.

Equilíbrio de corpos rígidos

No entanto, isso não é suficiente para alcançar o equilíbrio, uma vez que existe ainda uma tendência de giro que recebe o nome de força. Confira o exemplo:

Equilíbrio de corpos rígidos

Neste caso, sendo o comprimento da barra igual a x, temos finalmente a fórmula que calcula o momento de cada força.

Estática

E o momento total seria o dobro: Estática

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *