Guerra Mórmon

O dia 6 de março de 1838 ficou registrado na história como o início da Guerra Mórmon, ocorrida na região noroeste de Missouri, estado no Centro-Oeste dos Estados Unidos. O conflito se deu entre os fiéis da religião Santos dos Últimos Dias e a população que habitava a região.

Os Mórmons, com são denominados os seguidores da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias, são classificados como uma diversificação do cristianismo e que tem como profeta Joseph Smith Jr. À época, ele teria feito uma revelação aos fiéis sobre a volta de Jesus à Terra. Segundo a revelação de Smith, o retorno se daria no condado de Jackson, em Missouri. Eis o motivo o qual levou a comunidade Mórmon a querer fixar moradia na localidade.

Guerra Mórmon

O conflito

A chegada dos Mórmons em Missouri causou várias desavenças na região. O modo de se portar diante das situações vividas na localidade, além da ideologia religiosa dos Mórmons despertou intolerância nos que habitavam a área. Os recém-chegados a Missouri foram entendidos como um risco à política local e, com isso, os confrontos diretos foram inevitáveis. Por inúmeras vezes os Mórmons quase foram expulsos da região.

Um compromisso de paz até chegou a ser firmado entre ambos os grupos, mas em 1838 o tratado caiu por terra e uma nova e mais severa onda de conflitos teve início.

Conhecida também como a Guerra Mórmon do Missouri – denominação dada para diferenciá-la das Guerras Mórmons de Utha e de Illinois –, a batalha teve o seu começo em 6 de agosto daquele ano, sobre impulso do conflito na eleição de Galatin, capital do condado de Jackson. Na oportunidade, a população local promoveu um conflito para impedir que os novos habitantes tivessem o direito ao voto no pleito.

Daí por diante os embates foram crescentes e os Mórmons acabaram migrando para várias localidades em Missouri, entre elas a cidade de De Witt e o condado de Caldwell. Todavia, sempre eles eram alcançados e a guerra culminou numa caçada desenfreada contra os religiosos causando prisões e muitas mortes.

 

Término da guerra

Smith e outros líderes foram presos e, com isso, a comunidade Mórmon foi acusada de ser a causadora da guerra. Os seguidores da religião se desfizeram de suas propriedades para pagar as despesas do conflito e deixarem a região. Ao se mudarem para o Leste, os Mórmons fundaram uma nova cidade e, mais tarde, o profeta Smith conseguiu fugir e se unir aos seus fiéis já em Illinois. Em 1 de novembro, ao ser decretado o fim da guerra, haviam 22 mortos, sendo 21 Mórmons. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *