Império carolíngio

Carlos Magno

Também conhecido como Império de Carlos Magno, o Império Carolíngio aconteceu durante o reinado de Carlos Magno, imperador, e foi o momento de maior esplendor do Reino Franco. Carlos Magno foi, com uma política de expansionismo militar, expandido seu império indo além dos limites que seu pai alcançou.

O auge do poder de Magno se deu quando se aproximou da Igreja Católica e o papa Leão III o coroou como imperador do Sacro Império Romano-Germânico, sendo dessa forma o defensor e disseminador da fé em suas terras conquistadas.

Carlos Magno conseguiu conquistar a Saxônia, Lombardia, Baviera e uma faixa de onde é, atualmente, a Espanha. Além de suas grandes conquistas militares, o reinado de Carlos Magno foi marcado também por grandes avanços nas áreas cultural, educacional e administrativa.

Entre suas principais conquistas, podemos citar a Germânia, Pavia, Ducado de Friuli, Ilhas Baleares, Ducado de Spoleto e Barcelona.

Império carolíngio

Carlos Magno faleceu em 814, e ao mesmo tempo o Império Carolíngio foi perdendo forças, passando de mãos em mãos aos imperadores seguintes. As terras que foram por ele conquistadas foram divididas em 843 entre seus netos por meio de um tratado que ficou conhecido como Tratado de Verdun.

Os avanços

Com grande preocupação em manter a cultura greco-romana, Magno investiu em construções de escolas e no desenvolvimento da arte, além de criar e inserir um novo sistema monetário. Isso fez com que o período de Carlos Magno e o Império Carolíngio ficassem conhecidos também como o Renascimento Carolíngio.

Administração

Magno se viu obrigado a criar um novo sistema para administração de territórios, uma vez que com suas conquistas teve um amplo território para governar e administrar. Ele determinou que os condes administrariam alguns pedaços de terra e assim dividiu as regiões em condados. Era necessária, no entanto, uma fiscalização em cada um desses condados e, para isso, criou um cargo chamado de missi dominici. Aqueles que fossem designados para este cargo deveriam fiscalizar pessoalmente os territórios e deixar o imperador a par de tudo que lá acontecesse.

Educação

Sob orientação de Carlos Magno, o monge Alcuíno, natural da Inglaterra, desenvolveu um projeto escolar para melhorar a área educacional. O planejamento tinha como um de seus principais objetivos a manutenção dos conhecimentos clássicos, tanto gregos como romanos. Nas escolas, que funcionavam junto aos bispados – escolas catedrais –, às cortes – escolas palatinas – e junto aos mosteiros – escolas manacais –, os estudantes aprendiam muito sobre aritmética, geometria, dialética, retórica, gramática, astronomia e música, as sete artes liberais.

Cultura

Com construções de palácios e igrejas, iluminuras – pequenos livros que tinham detalhes dourados e muitas ilustrações – e relicários, essa época foi marcada por uma grande influência de culturas grega, romana e bizantina e teve sua arte denominada Arte Carolíngia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *