Movimento comunal

O movimento comunal surgiu na Idade Média a partir da força de vontade e desejo dos burgueses, mercadores e artesãos, assim como pela busca da liberdade econômica. Esse movimento marcou a tomada do poder dos senhores feudais pela burguesia e a sua consagração. As revoltas urbanas surgiram como resposta da insatisfação dos pobres e reformadores, contra a corrupção, coleta abusiva de impostos e a quebra do princípio básico de igualdade. O movimento comunal foi uma resposta à violência feudal.

Início do movimento comunal

Durante o período do feudalismo tanto a cidade quanto o campo eram dominados pelo senhor feudal (nobres senhores que possuíam muito poder político, militar e econômico), isto é os proprietários do feudo. As cidades eram protegidas por muros, que serviam inclusive para proteger os centros comerciais, chamados de burgos.

Por volta do século XI, com o crescimento populacional o comércio aumentou, as cidades passaram a apresentar forte influência econômica, fazendo com que os burgueses iniciassem uma luta pela sua autonomia em relação ao feudo, iniciando-se o movimento comunal.

Cidades comunas

De início, os senhores começaram a renunciar seus direitos mediante um pagamento, desta forma as cidades passavam a ser chamadas de cidades francas, que eram livres do domínio dos senhores feudais. No entanto alguns senhores não aceitavam o acordo, sendo assim, os burgueses decidiram iniciar um confronto, e as cidades que sofreram com este confronto foram chamadas de comunas. O movimento comunal ocorreu principalmente nas regiões onde a burguesia era mais forte, como no norte da França e na Itália.

Movimento comunal
Foto: Reprodução

Burgueses passam a governar cidades

A burguesia passou a governar várias cidades, das quais se tornaram repúblicas soberanas (independentes). Nessas cidades os burgueses se integraram em atividades urbanas e alguns burgueses mais ricos passaram a exercer o poder político, estabelecendo as leis de aplicação local, cobrando impostos e exercendo poder sobre a milícia urbana. Nessa circunstância, dependendo da cidade o chefe recebia o título de prefeito, burgomestre, podestá ou doge. Na Itália, por exemplo, nem o poder imperial ou o senhorial foi capaz de se fixar.

Início das hansas

Muitas cidades alemãs, durante a Baixa Idade Média, que eram conhecidas como cidades livres, decidiram monopolizar o comércio de determinadas regiões. Essas associações eram denominadas de hansas ou ligas. A mais conhecida foi a Liga Hanseática, que dominou o comércio nos Mares Bálticos e do Norte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *