Neoclassicismo

Tendência dominante da arte europeia no final do século XVIII e no começo do século XIX, o neoclassicismo tem como principais características a revalorização dos valores gregos e romanos antigos que possivelmente foi estimulada pelas escavações e descobertas realizadas neste período em sítios arqueológicos de Atenas, Herculano e Pompeu.

Influenciando a arte de todo o ocidente no período, o neoclassicismo teve como base alguns ideais do iluminismo também, buscando os princípios da moderação, equilíbrio e idealismo.

O início

O neoclassicismo teve seus primeiros sinais vistos nas primeiras décadas do século XVIII, tendo uma série de fatores que fizeram com que surgisse na Europa. Esses fatores visavam o combate às últimas formas de manifestação do Barroco e do Rococó. O esgotamento da fórmula barroca, assim como a condenação dos seus excessos, decorativismo fútil, falta de decoro e outros elementos, em conjunto com o grande e crescente interesse pela antiguidade fizeram com que ressurgissem os valores desses tempos antigos, assim como da harmonia, racionalismo e aperfeiçoamento pessoal.

Características nas artes plásticas

Nas artes plásticas, as principais características do neoclassicismo eram o retorno ao estilo greco-romano, culto à teoria de Aristóteles, formalismo, racionalismo, democracia, exatidão nos contornos nas pinturas, sobriedade nos ornamentos e nas cores e pinceladas que não marcavam a superfície.

Neoclassicismo

Obras, autores e características das diversas expressões de arte

Na pintura, podemos citar como exemplo de obra deste período “O Juramento dos Horácios” do artista francês Jacques-Louis David, obra inspirada na história da Roma Antiga. Além deste artista, Dominique Ingres, com obras como “Bonaparte”, “A Bela Célia”, “A Grande Odalisca” e “O Banhista” e outros artistas como Pierre-Paul Prud’hon, Antoine-Jean Gros, Karl Briullov, Andrea Appiani, Benjamin West e muito mais.

Na escultura, as obras visavam inspirar-se no passado e, acima de todos os escultores, destacou-se o italiano Antonio Canova com suas obras que dominavam a cena europeia com estátuas de heróis e figuras mitológicas. Entre suas obras, podemos citar “Perseu com a Cabeça da Medusa” e “Eros revive Psique com um beijo”. Outros escultores como Jean-Antoine Houdon, William Wetmore Story e Richard Westmacott inspiraram-se no neoclassicismo em diversos países.

A arquitetura teve marcas peculiares durante o movimento do neoclassicismo. Suas obras eram feitas com materiais nobres, processos técnicos avançados, mas sistemas construtivos simples. As abóbadas de berço, cúpulas, pórticos colunados entre diversas outras características peculiares.

Na literatura, por sua vez, os textos apresentavam linguagens claras, sintéticas, nobres e gramaticalmente corretas, libertando-se em partes do classicismo anterior. O arcadismo, presente na Itália, em Portugal e no Brasil, foi a principal expressão deste movimento na literatura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *