Ondas gravitacionais

Quem é que nunca ouviu a famosa história da maçã que cai diante de Isaac Newton quando ele tem o estalo sobre a gravidade? Apesar de não termos como saber se essa cena específica aconteceu realmente, existem aqueles que acreditam que ele observou a queda de uma maçã e a Lua, dessa forma intuindo que o movimento da fruta e do satélite natural estariam sob a ação da mesma força.

Gravidade

O cientista chegou a uma conclusão correta, pois a gravidade não é responsável apenas por atrair os corpos na superfície da Terra, mas também é a maior influência para que os astros do Universo se movimentem.

Isaac Newton, no entanto, ao fazer essa descoberta, ignorou alguns fatores determinantes com relação à gravidade. Segundo ele, a força da gravidade atua instantaneamente à distância, sem ter qualquer motivo conhecido para ser transmitida de um corpo para o outro. Como exemplo, podemos citar um caso em que a lua tivesse desaparecido. Neste, as marés imediatamente baixariam onde estavam altas anteriormente.

Ondas gravitacionais
Foto: Reprodução

Albert Einstein

Quem deu atenção a essas questões ignoradas por ele foi Einstein, que, em sua Teoria da Relatividade Geral, descreveu uma hipótese a partir da qual deduziu que o tempo e o espaço estariam diretamente relacionados.

Para ele, a força gravitacional deve ser pensada sempre em quatro dimensões, sendo que três delas são as dimensões do espaço – profundidade, altura e largura – e o tempo.

Para quem não consegue imaginar essas dimensões juntas, é possível fazer uma analogia para explicar melhor. Quando você coloca uma bola de boliche e uma bola de gude em uma cama elástica, a menor seria acelerada somente até chocar-se contra a bola maior. Este é o mesmo caso de um meteoro que estivesse próximo a um planeta.

Ondas gravitacionais

No ano de 1974 descobriu-se a existência de um pulsar binário que tinha uma perda de energia mais rápida do que o previsto. Acredita-se, de acordo com estudos de cientistas, que a causa da perda seja causada pelas ondas gravitacionais geradas pelo sistema.

As ondas gravitacionais nada mais são do que ondas que transmitem energia por meio de deformações presentes no espaço-tempo.

Alguns pesquisadores conseguiram encontrar finalmente algumas evidências das ondas gravitacionais que foram causadas pelo Big Bang. Os resultados podem ser comprovados e, se o forem, poderão mudar tudo que já foi conhecido neste campo no mundo da física.

Essas ondulações cósmicas são essenciais para a evolução do Universo, e nada mais são do que perturbações na estrutura do espaço-tempo – na geometria do Universo. Acredita-se piamente que são resultantes do Big Bang, mas, para ser confirmado realmente, é preciso observar a radiação cósmica de fundo efetuada com um satélite que foi lançado em 2009 e chamado de Planck.

Essas ondas, quando comprovadas, serão a prova de que o Big Bang realmente aconteceu. Além dessa, existem muitas provas de que ele aconteceu, mas isso aumentará a confiança teórica e observacional da comunidade de cientistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *