Pré-Modernismo

Situado ao longo na história nas duas décadas iniciais do século XX, o período literário do pré-modernismo precedeu o movimento modernista de 22. Na essência, esse período não é considerado uma escola literária. O Pré-Modernismo é definido como uma corrente de autores que, após se identificarem como não correspondentes a nenhuma das estéticas predominantes no final do século XIX, lançaram produções impactantes, retratando novas ideologias temáticas/estilísticas na literatura.

Características do Pré-Modernismo

  • Ruptura com o academicismo
  • Ruptura com o passado e o parnasianismo
  • Predominância da linguagem coloquial
  • Exposição da realidade social brasileira
  • Regionalismo e nacionalismo
  • Marginalidade dos personagens (sertanejo, caipira, mulato)
  • Temáticas históricas, políticas, econômicas e sociais

Brasil – Autores pré-modernistas

O pré-modernismo foi o período em que os autores elevaram o tom no que tange a sociedade e aos estilos literários que existiam até então. Inúmeros escritores pré-modernos deixaram de lado a linguagem formal do arcadismo e, se utilizando de uma abordagem coloquial, passaram a explorar temáticas históricas, sociais, econômicas e políticas, sobretudo devido o instante pelo qual o Brasil passava, época da República do café com leite e outras revoluções.

Pré-modernismo
Euclides da Cunha | Foto: Reprodução

Euclides da Cunha (1866-1909)

Ocupante da cadeira de número sete na Academia Brasileira de Letras de 1903 a 1906, Euclides Rodrigues da Cunha foi escritor, poeta, ensaísta, jornalista, historiador, sociólogo, geógrafo, poeta e engenheiro brasileiro.

Obra destaque:

Os Sertões: Campanha de Canudos (1902), escrito regionalista, separado em três partes: A Terra, o Homem, A Luta. A obra expressa a vida do sertanejo e a Guerra de Canudos (1896-1897) no interior do Estado da Bahia.

Graça Aranha (1868-1931)

Um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras e um dos fomentadores da Semana de Arte Moderna de 1922, José Pereira da Graça Aranha foi um escritor e diplomata maranhense.

Obras destaque:

  • Canaã (1902)
  • Malazarte (1914)
  • A Estética da vida (1921)
  • Espírito Moderno (1925)

Monteiro Lobato (1882-1948)

Um dos mais famosos escritores do século XX, José Bento Renato Monteiro Lobato foi um escritor, editor, ensaísta e tradutor brasileiro. Sua fama é decorrente, sobretudo, das obras infantis de cunho educativo.

Obras destaque:

  • Sítio do Pica-pau Amarelo (1920-1947)
  • Urupês (1918)
  • Cidades Mortas (1919)

Lima Barreto (1881-1922)

Escritor e jornalista brasileiro, Afonso Henriques de Lima Barreto ficou mais conhecido como Lima Barreto. Autor de uma obra crítica atrelada às temáticas sociais, o escritor desbaratou o nacionalista ufanista e teceu críticas ao positivismo.

Obra destaque:

Triste Fim de Policarpo Quaresma (1911). Obra com linguagem coloquial pela qual o autor critica a sociedade urbana da época.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *