Pulso eletromagnético

Uma corrente elétrica é capaz de gerar campo magnético e campos magnéticos variáveis, dotada da propriedade de atrair correntes em condutores vizinhos. Tal conceito é a “chave” para que se entenda o fenômeno de pulso eletromagnético (PEM).

A compreensão dessa força exige relação direta com duas leis que fundamentam o eletromagnetismo, são elas: a Lei de Faraday e a Lei de Lorentz.

Também conhecida como lei da indução eletromagnética, a Lei de Faraday é a que explica a geração de corrente elétrica em um circuito disposto sob a ação de um campo magnético variável ou por um circuito em movimento em um campo magnético constante.

Já a Lei de Lorentz representa a acumulação da força elétrica, gerada de um campo elétrico “E”, com força magnética em decorrência de um campo magnético “B”. Estes agem em uma partícula carregada eletricamente em movimento no espaço.

Pulso eletromagnético
Foto: Reprodução

Influência em meios eletrônicos

O pulso eletromagnético representa a interferência que um campo eletromagnético adequado pode exercer em qualquer equipamento eletrônico, haja vista que o mesmo promoverá uma corrente elétrica.

A variação da distância do equipamento eletrônico especificado, a partir do campo magnético, poderá haver a formação de uma corrente elétrica complementar, que por sua vez promoverá o funcionamento inadequado ou provocar danos ao equipamento.

Ocorrências do PEM e/ou aplicações

  • A radiação emitida por aparelhos computadores;
  • Explosões na alta atmosfera de bombas nucleares. Tal evento pode provocar o PEM devido o choque entre raios X e os raios Gama emitidos após uma explosão desse porte. Exemplo disso ocorreu no Havaí, onde anos atrás uma detonação assim provocou o pulso eletromagnético;
  • Perfuração em placas de aço e outros metais. O método que se utiliza de campos eletromagnéticos foi desenvolvida por engenheiros alemães.

Poderio bélico

Ao longo da história da Terra o homem foi capaz de descobrir os efeitos da tecnologia do pulso eletromagnético no emprego de armas militares. Tal método se dá nas bombas nucleares que são detonadas acima do globo, distante centenas de quilômetros da superfície terrestre. Entretanto, essa utilização depende de três aspectos: a altitude em que o artefato foi detonado, o rendimento da energia liberada e a interação total com o campo magnético do Planeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *