Revolução Verde

Revolução verde foi o nome que recebeu um conjunto de mudanças implantado no segmento agropecuário em países subdesenvolvidos. Seu objetivo principal era solucionar o problema da fome, e é fundamentado na aplicação da biotecnologia para produzir sementes melhoradas, assim como a utilização de fertilizantes, defensivos, adubos, mecanização de campo e tudo que fosse possível para tornar maior a produção dos alimentos no mundo.

O termo usado para designar esse conjunto de mudanças foi criado no ano de 1966 em Washington, mas esse processo aconteceu de fato ao final da década de 1940.

Como aconteceu a revolução?

O desenvolvimento de sementes com especificações para cada tipo de solo e clima, além da adaptação do solo para o plantio foram o principal meio da revolução. Com alta resistência às pragas e doenças, além de ter seu plantio feito com ajuda de agrotóxicos, fertilizantes, implementos agrícolas e outros equipamentos, a revolução ajudou a aumentar a produção de forma significativa.

O programa foi idealizado exatamente com o objetivo de aumentar a produção com a implementação de técnicas de alteração genética de sementes, baseando-se no intenso uso dessas, da irrigação e colheita com uso extensivo de tecnologia.

O início da revolução se deu por meio dos avanços tecnológicos do pós-guerra, quando pesquisadores prometiam aumentar a produtividade e resolver o problema da fome nos países em desenvolvimento.

Revolução Verde

O programa

Com início no século XX, o programa foi iniciado com o convite do governo mexicano para a Fundação Rockfeller para fazer estudos a respeito da fragilidade da agricultura do país. Os cientistas, a partir de então, passaram a desenvolver variedades de milho e trigo que tinham alta produtividade, alcançando para o México um grande aumento na produção. As sementes passaram a ser inseridas em outros países alcançando também excelentes resultados.

A fundação conseguiu, com isso, uma expansão de seu mercado consumidor passando a vender verdadeiros pacotes de insumos agrícolas para países em desenvolvimento como a Índia, o Brasil e o México.

Resultados

Apesar de prometer acabar com a fome nos países em desenvolvimento, este objetivo não foi cumprido pelo programa. Neste sentido, os resultados foram negativos, pois apesar de ter aumentado a produção dos países, acabou criando uma grande dependência destes países pelas sementes modificadas, alterou a cultura dos pequenos proprietários, não resolveu o problema da fome e, de quebra, ainda aumentou a concentração fundiária. Vários problemas sociais não foram resolvidos, apesar de ter gerado os benefícios das tecnologias que trouxeram mais resultados na produção agrícola.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *