Romantismo

O período cultural que ficou conhecido como romantismo teve início no final do século XVIII na Europa, mas que espalhou-se pelo restante do mundo até o final do século XIX. O romantismo despontou principalmente em três países no início: a Inglaterra, Alemanha e Itália. Na França, no entanto, foi o país em que o romantismo ganhou mais forças, e foi por meio deste que o estilo se espalhou.

Características

As principais características do movimento envolvem a valorização da emoção, amor platônico, temas religiosos, história, nacionalismo, liberdade de criação e individualismo, recebendo fortes influências dos ideais iluministas e da liberdade que foi conquistada durante a Revolução Francesa.

O romantismo nas artes

O romantismo e suas características tiveram algumas influências em diferentes formas de expressão de arte. Na literatura, por exemplo, a poesia lírica foi o formato do romantismo nos séculos XVIII e XIX. Nesta época, os poetas faziam muito uso de metáforas, comparações, frases diretas e palavras estrangeiras, abordando temas como a morte e os mistérios que a envolvem, os amores platônicos e os acontecimentos históricos nacionais.

Entre os principais escritores e obras, podemos citar William Blake, com a obra Cantos e Inocência; Goethe, com Os Sofrimentos do Jovem Werther e Fausto; William Wordsworth com Baladas Líricas, Victor Hugo com Os Miseráveis e Alexandre Dumas com Os Três Mosqueteiros, entre muitos outros.

Romantismo
Foto: Reprodução

Artes plásticas

As marcas deixadas nas artes plásticas pelo romantismo foram fortes, representando a natureza, os problemas sociais e urbanos, além da valorização das emoções e dos sentimentos. Como artistas importantes da época, podemos citar Eugène Delacroix e Francisco Goya.

Música

A valorização da liberdade de expressão e das emoções, assim como a utilização de todos os recursos da orquestra, marcaram a música do período do romantismo. Eram usados assuntos nacionalistas, folclóricos e populares, onde se destacaram músicos como Ludwig van Beethoven – cujas ultimas obras são consideradas românticas –, além de Fréderic Chopin, Franz Liszt, Franz Schubert, Feliz Mendelssohn, Hector Berlioz, entre outros.

Teatro

A religiosidade, o cotidiano, o individualismo e a subjetividade de Willian Shakespeare foram a forma da manifestação do romantismo na dramaturgia. Neste segmento artístico, Victor Hugo também obteve destaque por levar muitas inovações ao teatro. Além disso, os mais conhecidos dramaturgos do período foram Friedrich von Schiller e Goethe.

O romantismo brasileiro

No Brasil, o romantismo teve início no ano de 1863, quando ainda estava presente a euforia proveniente da Independência do país. Os artistas românticos brasileiros optaram por demonstrar em suas obras as fortes inspirações na natureza, além das questões políticas e sociais do país. Eram valorizados o amor sofrido, a importância da natureza, o cotidiano popular e a religiosidade cristã. A literatura, meio artístico em que o estilo se manifestou mais fortemente, teve três gerações.

A primeira geração, conhecida como nacionalista ou indianista, valorizada muito os temas nacionais e fatos históricos do país, que envolviam a vida dos índios. Estes eram representados como “bons selvagens” e acabaram se tornando símbolo do Brasil. Como autores de destaque, podemos citar Gonçalves de Magalhães e Gonçalves Dias.

A segunda geração, por sua vez, ficou conhecida como o mal do século. Nessa época, eram relatados os temas amorosos extremos marcados por um pessimismo, a tristeza, uma visão decadente da sociedade e da vida. Muitos dos escritores desta época morreram jovens. Como exemplo de escritores que marcaram o período, podemos citar Casimiro de Abreu e Álvares de Azevedo.

Por fim, a terceira geração, conhecida como condoreira, foi marcada pela forte crítica social. A escravidão, por exemplo, era fortemente criticada por escritores como Castro Alves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *